Bratislava

June 25th, 2010 | Blog, Bratislava | voltaeuropa | No Comments

Chegamos a Bratislava de uma forma exasperante. Estivemos ao computador até às 3h da manhã, apanhamos o shuttle para o aeroporto e aguardamos pelo voo às 06h. Aterramos em Bratislava às 10h da manhã e durante o dia, sem pousar as malas, esperamos pela Tina, a nossa host nesta cidade que só nos encontrou pelas 18.30h. Finalmente e ainda sem dormir, pousamos as malas e fomos jantar com 2 eslovacas e 2 gregos. Muita troca de experiências, muitas viagens, o que se gosta e não gosta em cada país (ninguém sabe que em Portugal todos os miúdos tem um computador portátil e acreditem que lhes custa a acreditar!), até que, finalmente, após 41h, conseguimos dormir! Brilhante! Um diaaaaa perfeito!

Bratislava é uma cidade pequena cujo brand slogan “Bratislava, little big city” se adequa de forma particular. Tudo fica a uma distância a pé, os preços são convidativos e a arquitectura é especial. Não é frequente conseguirem ser atendidos em inglês e apesar de só termos passado 2 noites/3 dias, pareceu-nos que os eslovacos da capital não são o povo mais simpático e atencioso do mundo. É ainda visível o património comunista, especialmente, na arquitectura! Alguns factos sobre:

- Bratislava, nas margens do Danúbio, é a capital e maior cidade da Eslováquia com 450.000 habitantes. É a única cidade capital que faz fronteira fronteira com 2 países: Áustria e Hungria. De facto, Bratislava e Viena são as 2 capitais Europeias mais próximas, a 60 km de distância.

- Bratislava foi capital do Reino da Hungria durante 250 anos  e a história da cidade foi escrita por  Austríacos, Checos, Alemães, Húngaros, Eslovácos e Judeus.

- O PIB per capita em Bratislava é  147.9% da media Europeia e é mais alto que qualquer região Francesa à excepção de Paris.

- Bratislava tem um pequeno e encantador centro histórico, com ruas estreitas, um castelo no cimo do monte ao lado do Danúbio . Nas partes mais modernas da cidade encontram-se vários edifícios típicos da era comunista, e o maior complexo comunista de “prédios de cimento” da Europa Central que se estende infinitamente ao longo do rio, e onde ficámos alojados pela nossa muito hospitaleira couchsurfer.

- A dissolução do império Astro-Húngaro perto do final da 1ª Guerra Mundial permitiu a união entre Eslováquios e Checos tendo-se formado a Checoslováquia. Depois do caos da 2ª Guerra Mundial, a Checoslováquia tornou-se numa nação comunista na Europa de Lesta à data dominada pelos Soviéticos. Com o colapso do domínio soviético em 1989, a Checoslováquia tornou-se livre mais uma vez. Os Eslovácos e os Checos acordaram a separação pacífica em 1993. A Eslováquia entrou para a NATO e UE em 2004 e adoptou o Euro em 2009.

Leave a Reply

* Name, Email, and Comment are Required